Search

MãeSemHipocrisia

Om mani padme hum

Confiando no Universo

É… último final de semana com a minha Luísa na barriga. Daqui 3 dias, completaremos 40 semanas (as tão esperadas 40 semanas…). O que estou sentindo?

Claro que fico ansiosa para saber identificar um trabalho de parto. Mas no geral, estou muito tranquila. Não me sinto loucamente ansiosa… Acho que nesse momento, estou mais preocupada em me manter em equilíbrio, para que a minha Luísa venha com muita confiança.

Eu quero um parto normal tranquilo, com os passos-a-passos dentro dos conformes… Aceito anestesia, porém, nem pensar em indutores. Caso alguma coisa não ocorra dentro do esperado, #partiuCesariana (não quero correr riscos), então, caso a minha Luísa esteja muito tranquila para nascer, faremos um parto cesariana dia 17/11 (daqui 5 dias).

Daqui 2 dias, a Lua cheia aparecerá – É a “super lua”. Ela estará maior e mais brilhante. O último evento desse, ocorreu 70 anos atrás. Além disso, ontem encontrei um apoio grandioso numa Deusa guerreira, chamada Durga. O mantra “om dum durgayei namaha” é lindo e me inspira a ter forças… Por isso, eu gostaria que o universo me contemplasse com a maneira mais pura e forte da manifestação da natureza: Que é a passagem de uma vida, do útero para o mundo.

…Seja o que Deus/Universo desejar. Eu aceito o que me for ofertado!

 

 

Advertisements

O primeiro release se aproxima…

Bom… completo 38 semanas no início da semana que vem. Meu afastamento do trabalho já é dado como certo…

Como eu me sinto? 
Ah… Me sinto estranha. Estou feliz por estar chegando o momento do nascimento da minha Luísa, porém, me sinto confusa pois ficarei longe do cotidiano que tanto gosto.

Na última sexta-feira, eu recebi uma linda surpresa do pessoal do trabalho (sim, eu chorei ao ler). No cartão (onde tinha assinaturas e lindas frases da galera), algumas chamaram minha atenção:

“Já fez a inception desse projeto?” (By Fabeni)
“Boa sorte com o release desse MVP de serumaninho” (By André)
Ao mesmo tempo que as afirmações me levou ao âmbito profissional, que é uma vida que tenho grande prazer em exercer, também me fez pensar na minha jornada pessoal.

“Meu MVP de serumaninho”…

Terei em poucos dias, uma pessoinha praticamente “crua”, inocente em todas as formas… Ela poderá ser absolutamente TUDO que quiser.

Tudo isso me faz sentir uma grande responsabilidade. Afinal, o primeiro “release” está chegando e eu já tenho que fazer o “grooming” da próxima “sprint”. Mesmo sem ainda ter a visão do “carry over”, preciso continuar a “desenvolver”, pois o “product backlog” é longo…

Não sei se minha Luísa será quietinha, agitada, nem qual será a sua personalidade. Tudo isso gera baixa confiança na contagem dos “CPs” e não me dá a visão do “capacity” suportado nas “sprints”.

Apesar de tudo isso, farei como deve ser feito em qualquer desafio: Manterei os “riscos” mapeados (na medida do possível, claro) e controlarei a evolução dessa nova experiência, anunciando nas “dailys” dos meus amigos/famílias os “blockers” que encontrar… E sei que diante de pessoas tão maravilhosas, eu tenho certeza que resolverei quaisquer “impedimentos”!

Estou muito grata pelas pessoas que o universo colocou em meu caminho.
Obrigada Galera!!!

Inciando a espera…

Hoje com 37 semanas, tivemos a primeira consulta semanal de pré-natal. O que isso significa? Que a hora está chegando \o/

A Luísa ainda não está encaixada, mas o trabalho de parto pode acontecer a qualquer momento, principalmente a partir da semana que vem. Eu acho que ela virá só lá pelo dia 15/11. Mas a galera no geral acha que a data de nascimento será antes.

Fizemos até um “bolão” na família e outro no trabalho:

Da família:
Mãe – 13/11
Juju – 01/11
Su – 08/11
Zi – 15/11
Ignezinha – 11/11
Vera – 06/11
Mor – 30/10

Trabalho:
Diego – 27/10
Artur – 02/11
Danilo – 11/11
Ju – 07/11
Lucas – 08/11
Bianca – 29/10
Neo – 17/11
Saka – 12/11
Marcos – 03/11
Marina – 05/11
Nícia – 07/11
Harumi – 31/10
Flavinha – 04/11
Renato Anholon – 14/11

Vamos ver quem acerta!!! kkkkk

Adoro muito curtir o momento, compartilhando com amigos e família!!! 🙂

 

 

 

Eu sou natureza!

Com frequência eu penso que a natureza é perfeita. Olho o céu e penso isso… Olho as árvores, flores e penso isso… Bom, admiro muito a natureza e penso isso, toda vez que me deparo em sintonia com ela…

– Reparou? Está reparando?

 – No que? Presta atenção… 

Na afirmação acima, eu me referi a natureza como sendo “ela”. Como se fosse algo maior, o qual, nós humanos não fazemos parte…

Então, em plena 36 semanas, eu ando pensando o quanto eu sou natureza! Meu organismo e corpo, estão numa mudança absurda. Provavelmente, a mais avançada visivelmente, de toda gestação. A Luísa está com mais de 2600kg e 44cm. Ela está perfeitinha, toda formada e já tem até bochechas para apertar… – E está dentro de mim!!! – Ela está crescendo cada vez mais, e está em meu ventre.
Quando penso que só faz alguns meses que no lugar dessa bebê perfeitinha, havia apenas células com batimentos cardíacos… Eu me convenço que sou natureza!!!

Tem natureza maior do que gerar vida? Do que pensar que se formou uma pessoinha completinha dentro do próprio corpo?

As vezes quando aparece uma plantinha “do nada” entre o rejunte do piso, penso:
– Nossa!!! Do nada nasceu essa plantinha. A natureza realmente é guerreira… e a vida sempre luta para se propagar… É perfeito!

Hoje, posso olhar para meu reflexo no espelho e pensar: -Nossa!!! Do nada apareceu esse barrigão e dentro está uma linda garotinha. A natureza realmente é guerreira e a vida sempre luta para se propagar… É perfeito!

Sou natureza, você é natureza… somos natureza!

Lavando as roupinhas…

Então, estamos com 34 semanas e… Vamos lavar roupas!!!!

Ok, ok… fui na manicure ontem e… eu assumo que lavar roupas não faz parte de meu cotidiano. Na verdade, é muito raro eu lavar roupas! Mas nesse caso é diferente. É uma situação especial…

Meu “MVP de enxoval” não exige grande expertise para ser lavado. Mas de qualquer forma, eu precisava fazer isso, pois é sinônimo de carinho, de atenção… de cuidado! E minha Luísa merece 🙂

Bom… e assim foi! Separei as roupinhas, cada uma com seu grupo de cores… Validei novamente todas as etiquetas, coloquei tudo no avesso, vistoriei a limpeza da máquina, peguei o sabão neutro para bebês e o vinagre de maçã e… iniciei!
Roupinhas mais delicadas no balde, para lavar sem ser na máquina. As de algodão e fraudas, coloquei na máquina (modo delicado para roupas de bebês). Primeiro a maior parte – grupo de cores branco. Depois as demais…

Enquanto as demais roupinhas estavam sendo lavadas, eu peguei a primeira leva e fui estender no varal que mais batia no sol. Enquanto estendia, eu namorava cada peça minúscula, cheirava e imaginava minha Luísa. Tudo com muito amor e carinho.

Quando eu terminei de estender a segunda leva de roupas, eu fui organizar a bagunça na lavanderia. Era um momento único e eu queria fazer tudo numa vibe maravilhosa… Estava tudo muito cheiroso quando…. Quando… Quandooo???? Que cheiro de fumaça é esse??? Caracaaaaaaaaaa! O Vizinho resolveu fazer churrasco!!!!!! Nãoooooo – A fumaça estava indo toda nas roupassss…

Aí, como um relâmpago, eu corri pegar as roupas que mais estavam sendo impactadas. Corri trocá-las de lugar e depois, claro, fiquei xingando os vizinhos (por horas), sem dúvidas!!!

Hum? Onde foi parar as “good vibes”? -Foi parar na casa do chapéu! Pois uma parte terá que ser lavada novamente.

hahahaha faz parte, né?

 

 

O dia do #JardimDaLuísa chegou!

Acordei no dia 01/10/16 pensando que naquele dia, fazia exatamente 1 ano que eu havia dado entrada no hospital, para realizar a cirurgia da endometriose.

Data curiosa… 01/10 – Números reflexivos, com composição de apenas 2 algarismos: 0 e 1. Representação binária.

Bom… voltando ao assunto. No dia 01/10/15 fui para o hospital, com a confiança em tratar todos os tumores e aderências que estavam em meu organismo. Eu não sabia se a cirurgia iria ajudar a posteriormente ter uma gestação natural ou não… Porém, entreguei para o universo e confiei que aconteceria o que deveria acontecer!

1 (um) ano se passou e eu lá estava… no dia 01/10 fazendo o chá de bebê da minha menininha (Jardim da Luísa). Eu não poderia comemorar essa data de maneira mais maravilhosa.

Como foi o #JardimDaLuísa? Foi maravilhoso!
A energia que circulava entre as pessoas era explicitamente de felicidade. As comidinhas servidas eram simples, porém, naturais e frescas – sem gordura e sem açúcar.

Após todos irem embora, parecia que cada pessoa que ali tinha passado, havia deixado partículas de amor, pois o ambiente estava tão agradável que minha vontade era ficar lá, perto da mesa decorada… ouvindo música! (Diga-se de passagem: Foi o que fiz, kkkk)

Algumas horas depois do último convidado ter ido embora, estávamos eu, Luísa, Dinda e Lili, de pernas para alto, observando as flores, ouvindo música e sentindo aquele clima maravilhoso de alegria e muito amor.

O medo, consequência do amor

Ontem participei de um curso para gestantes. Esse curso é oferecido pelo meu trabalho e chama “Bebê a Bordo”. Eu simplesmente amei!!! Estamos com 32 semanas e ontem foi um dia maravilhoso…

Em um breve momento, uma médica falou sobre a diferença entre homens e mulheres – seja por questão cultural ou não – ela causou durante um momento, uma boa reflexão sobre a responsabilidade que a mulher carrega e como a mulher tende a ser mais propensa a “medos”. Isso me fez refletir sobre os meus medos… Os medos atuais, os que passei…

Vamos aos relacionados a gestação, ok?

Quando descobri que tinha endometriose e que essa não era simples, já estava com um grau já bem avançado, eu fiquei com medo. Ouvir o que os médicos me falavam, também me dava muito medo… Fiz a cirurgia necessária para minha saúde e também para uma possível gravidez.
Mesmo assim, tinha medo de nunca engravidar.

Alguns meses depois da cirurgia, um exame e bingo BHCG positivo! Porém, no mesmo dia do exame, um forte sangramento veio e durou dias… E assim se foi o exame positivo. Fiquei com medo de não conseguir segurar um bebê.

Depois de poucos meses, um BHCG positivo novamente!!! Dessa vez, o medo anterior causava um trauma. O exame foi refeito 1 semana após o primeiro resultado e então… O Beta aumentou – Caramba que felicidade!!!

Quando estava com 8 semanas de gestação, um sangramento apareceu – Que medo!!! Foi um deslocamento do saco gestacional, mas nada que minha Luísa não superasse.

Bom… Nesse momento, sinto que caso ela venha a nascer antes do tempo, ela irá sobreviver com qualidade – isso me tranquiliza! O medo agora está nos próximos passos… Ela será uma moça, linda e cheia de saúde.

Tenho medo que ela se machuque ao se virar no berço e bater a cabecinha na madeira; ou ao dar os primeiros passos, caia; ou que prenda o dedinho na porta do quarto; ou que  tenha um coração partido na adolescência… rsrs

São muitos medos… Mas todos cheios de muito amor.

 

Pq a gestação não é uma propaganda de dia das mães…

Hoje, conversando com minha mãe, ela deu a ideia de listar os sintomas que tenho. Assim, daqui um tempo, poderemos comparar tal lista com a memória que se formará… Afinal, mesmo que a minha gestação esteja muito tranquila (quando comparado com a mulherada por aí), sinto alguns “efeitos colaterais”.

Então vamos lá…

  • Quando deito do lado direito, a Luísa não gosta… Ela fica chutando até eu mudar de lado – Pode isso? Quem é que manda?;
  • Quando durmo de barriga para cima, acordo no meio da noite com muita falta de ar – Bizarro é acordar e ter certeza que estou realmente com falta de ar rsrsrs;
  • As vezes, eu deito do lado esquerdo e tenho impressão de que existe uma bolha de gás atrás da minha costela, que dói a cada respiração (isso mesmo, posição para dormir é um pouco dífícil de achar kkkkk);
  • Quando falo e ando ao mesmo tempo, também sinto falta de ar – Sim, 90% dos sintomas são falta de ar Oo;
  • Minha pele mudou de cor (wtf? kkk) – a região dos seios está bem mais escura e com muito mais veias;
  • Sinto mais calor – Caraca! Minha mão ultimamente fica quente (fato tipo #inédito);
  • Quando a Luísa chuta o lado direto da barriga (bemmm na lateral, do lado direito), parece que estou tendo caimbra – As vezes até faço careta kkk;
  • Minha barriga encosta nas minhas pernas, quando eu sento (já comentado em outro post);
  • Meus seios encostam na minha barriga (também já comentado em outro post);
  • Sinto sono (Oi? Zzzzzz);
  • Me sinto cansada… Como se tivesse uma fadiga quase que maior que eu mesma!
  • Quando como um pouquinho a mais, meu estômago fica tão cheio que parece que fico de “sapinho” (ié, mini arrotos… mas bem mini hahaha);
  • Meu intestino também mudou… Eu ainda não vou ao banheiro todo dia, mas melhorou muitoooo;
  • Estou com dificuldades para cortar as unhas dos pés;
  • E… é difícil segurar pum, kkkkkk.
    :-p

Chega, né? hahahaha  – Cansei! 🙂

MVP de Enxoval

Então estamos com 30 semanas… Nossa!!! 30!!! – Agora tenho a sensação de contagem regressiva. Acho que não mais contarei as semanas com acréscimo, mas sim, de forma regressiva: 10, 9,8,7…

No final de semana passada, fui fazer a primeira comprinha para minha garota! Fomos eu, minha mãe e minha irmã. Compramos pagão, mijão, macacão… É tanta coisa e tanta informação que fiquei até cansada. Roupinhas de bebê são caras, mas são lindas! Nossa, depois eu pegava cada peça e ficava imaginando minha Luísa lá. Que delícia!!!

Hoje me perguntaram se eu já estava com tudo pronto. Eu ri… Tudo pronto? Socorro!!! Não! …Então me lembrei das comprinhas e respondi:
– Já tenho um MVP* de enxoval 🙂 hahahahaha. O mínimo para minha garota ir para a maternidade e voltar, já temos! Agora falta todo restante… kkkkk
(De fato, ostentação não é o meu forte rsrsrsrs)

“Luísa, vc me escolheu como mãe, desse jeito que sou… eu te amo! O MVP não significa que você não seja importante para mim… É apenas o jeito doido que sua mãe tem”

*MVP significa: Minimum Viable Product, em português, o Produto Mínimo Viável – em resumo é o mínimo necessário para obter uma “entrega de valor”.

 

Create a free website or blog at WordPress.com.

Up ↑