Daqui 2 dias, completarei 16 semanas de gestação (sim, as grávidas contam por semanas! É que cada semana, significa uma grande transformação – para nós e para os bebês). Bom, como eu dizia… Estou prestes a completar 4 meses da minha primeira gravidez e foi hoje que refleti sobre o “sabor da maternidade”.

Eu tive, no passado, muito medo de ser mãe. Por muito tempo eu tive verdadeira fobia, para falar a verdade. O motivo? Digamos que algumas experiências durante minha jornada – mas isso não vem ao caso.

Hoje, domingo nublado e gelado eu acordei e tive medo de ficar doente. Qualquer simples gripe soa como ameaça ao bem-estar da minha bebê – e estamos vivendo tempos difíceis para grávidas, né? Zika, H1N1, turbeculose (é… não só para grávidas! Mas como sou egoísta, me importo comigo, rs).

Em um determinado segundo, eu me vi pedindo para o universo proteger a qualquer custo a vidinha que está crescendo em meu ventre. Nesse momento, sugia um pedido: “Faça de mim um escudo, para que meu corpo bloqueie qualquer ameça e que apenas oferte para minha menininha apenas bons fluídos”. Parei e pensei um pouco… Caramba!

Eu sempre ouvi falar que o amor que existe para com um filho é incondicional. Quando decidi que estava fisicamente e psicologicamente preparada para tal decisão, eu tinha certeza que eu queria experimentar esse “amor incondicional”.

Hoje, ao me deparar com um pedido para o universo de forma tão pura e verdadeira, pude enfim sentir – pela primeira vez – o sabor desse amor… E ficou muito claro, o quanto eu estou disposta a proteger, cuidar e amor essa minha vidinha!

Advertisements