“()tenho por certo que ensinar a perguntar é a mais perfeita atitude educativa, e que se fosse possível ensinar esta arte a uma estátua lhe haveríamos de conferir desse modo a mais completa sabedoria” (MARINA:Teoria da Inteligência Criadora)

Sabe aquele tipo de opinião que dá preguiça, pq no fundo você sabe que não chegará a lugar nenhum? E pior que isso, que não agrega nada! É muito diferente você conversar com alguém sobre um ponto filosófico e sentir que aquela conversa está contribuindo para você ser alguém diferente (mesmo que não se conclua nada)… Existem pessoas que não “somam” e é esse tipo que me dá preguiça.

Independente do assunto, eu acredito no bom senso… Não tento impor minha opinião para outras pessoas, logo, acredito que não há motivos para que outras pessoas imponham suas opiniões a mim, ok? Podemos somar uns aos outros, vale também ficar no zero a zero – afinal, um bom argumento é o que vale! 🙂

Acredito na crítica como algo que deve ser trabalhado de maneira positiva. Os questionamentos são sempre bem-vindos e abre a mente para novos horizontes.

Eu tenho algumas opinões bem formadas quanto a assuntos polêmicos – geralmente estabelecidos como “tabu” por uma cultura social:

  1. Aborto;
  2. Religião;
  3. Família tradicional;
  4. Empoderamento feminino;
  5. Racismo;
  6. Liberação da maconha;
  7. Relacionamento Homosexual;

Penso em fazer um post para cada um desses assuntos…. O que acha? Eu gosto da ideia!!!

Espero de coração que a “crítica”, em seu mais puro modo, esteja sempre presente no pensar da minha Luísa, para que ela questione e reflita sobre TUDO. Se a opinião dela for diferente da minha tudo bem! O que importa é que ela questione e reflita…

 

Advertisements