Ontem participei de um curso para gestantes. Esse curso é oferecido pelo meu trabalho e chama “Bebê a Bordo”. Eu simplesmente amei!!! Estamos com 32 semanas e ontem foi um dia maravilhoso…

Em um breve momento, uma médica falou sobre a diferença entre homens e mulheres – seja por questão cultural ou não – ela causou durante um momento, uma boa reflexão sobre a responsabilidade que a mulher carrega e como a mulher tende a ser mais propensa a “medos”. Isso me fez refletir sobre os meus medos… Os medos atuais, os que passei…

Vamos aos relacionados a gestação, ok?

Quando descobri que tinha endometriose e que essa não era simples, já estava com um grau já bem avançado, eu fiquei com medo. Ouvir o que os médicos me falavam, também me dava muito medo… Fiz a cirurgia necessária para minha saúde e também para uma possível gravidez.
Mesmo assim, tinha medo de nunca engravidar.

Alguns meses depois da cirurgia, um exame e bingo BHCG positivo! Porém, no mesmo dia do exame, um forte sangramento veio e durou dias… E assim se foi o exame positivo. Fiquei com medo de não conseguir segurar um bebê.

Depois de poucos meses, um BHCG positivo novamente!!! Dessa vez, o medo anterior causava um trauma. O exame foi refeito 1 semana após o primeiro resultado e então… O Beta aumentou – Caramba que felicidade!!!

Quando estava com 8 semanas de gestação, um sangramento apareceu – Que medo!!! Foi um deslocamento do saco gestacional, mas nada que minha Luísa não superasse.

Bom… Nesse momento, sinto que caso ela venha a nascer antes do tempo, ela irá sobreviver com qualidade – isso me tranquiliza! O medo agora está nos próximos passos… Ela será uma moça, linda e cheia de saúde.

Tenho medo que ela se machuque ao se virar no berço e bater a cabecinha na madeira; ou ao dar os primeiros passos, caia; ou que prenda o dedinho na porta do quarto; ou que  tenha um coração partido na adolescência… rsrs

São muitos medos… Mas todos cheios de muito amor.

 

Advertisements