Search

MãeSemHipocrisia

Om mani padme hum

Dia de ultrassom!!!

Hoje fiz ultrassonografia! Com 28 semanas e 3 dias, a minha Luísa se apresentou lindamente nas imagens, com 1.217gramas e 33cm. No último exame, ela estava com 519gramas… Então, mais que dobrou 🙂

A minha barriga também cresceu muito! Nas últimas semanas, ela sofreu um “estirão”. Começou a pesar e ser notada! Afinal, umas 3 semanas atrás, as pessoas nem viam que eu estava grávida. Agora, me abordam nos corredores, perguntando se engoli um melão, kkkkk

Se senti essa diferença acontecendo?
-Ahhh sim! A barriga começou a pesar; minha mobilidade está um pouco afetada… e o mais bizarro: Sinto meus seios encostarem na barriga hahahaha – Eu sempre fui considerada uma mulher “mignon”, então essa sensação é muito nova para mim!!! Outra coisa estranha é sentir a barriga encostar em minhas pernas, ao me sentar! É estranho, mas é sensacional!!!!!

É muito amor!!!

É festa!!!

Com exatamente 27 semanas e 3 dias, tive a alegria de comemorar meu aniversário.
Muito grata por poder comemorar essa data, com minha menininha na barriga!

Foi um aniversário bem diferente!!! A começar, o fato de eu estar grávida… Mas, mais que isso! Foi o primeiro aniversário que tive a presença de meu pai e minha mãe, cantando parabéns para mim. Foi tão surreal, que até agora eu não acredito! Junto deles, estavam os familiares, que sempre fizeram parte da minha vida. Sempre compartilhando momentos, sempre sendo meu apoio, minha fortaleza.

Isso me fez refletir sobre o que é importante; Quais os valores que realmente estão em mim e como conduzir tudo isso!

Hoje, ao guardar os presentes… Revivi cada minuto daquele dia, que comemorei os completos 31 anos. Foi realmente um dia muito especial… Tive muitos aniversários que recordo com saudades. Mas sei que esse, em especial… Será recordado com muito carinho e emoção.

Queria conseguir traduzir em palavras a sensação de amor e felicidade que pude viver no dia 19/08/2016. Eu conseguia sentir o carinho das pessoas e seus olhares.

A pessoa que inventou a fração do tempo, inventou também a possibilidade de renovação. Inventou a possibilidade de fecharmos e iniciarmos ciclos… A possibilidade de criarmos esperanças e encararmos novos desafios com a energia renovada.

Gratidão ao Universo! Gratidão a vida!

 

Chá da Luísa

Exatamente nas 27 semanas completas, decidi executar o início da preparação do chá de fraldas da Luísa. Para a alegria das amigas, criei o evento no facebook 🙂

Creio que seja sabido por todos, que o chá de bebê/fraldas é tradicionalmente organizado pela gestante e suas amigas. E que é tradicionalmente um evento feminino.

Entendeu?
*Tradicionalmente um evento feminino*
*Chá de Fraldas*

Ok, vamos por partes… Eu não decidi ainda se ficarei restrita ao gênero dos convidados. Acho que isso não tem sentido… É um evento para a chegada do bebê, onde interessa apenas a mulheres? Isso é… uma mulher que será mãe, se reúne com outras mulheres e essas compartilham a experiência de uma nova vida que chegará e isso só “interessa” às mulheres?
Hummm… Eu sinto que a troca de experiências pode e deve ser compartilhada entre qualquer pessoa, independente do gênero – de forma livre e natural.
Mas ainda vou pensar com carinho sobre isso, afinal, existem variáveis como qtde de convidados, alimentação… etc…

Outro ponto… A palavra “Fralda” me remete a: “lixinho de cocô”. Dessa forma, é fato que 1 bebê usando fraldas, gera um impacto ecológico no meio ambiente, certo? Sei que existem formas de suprir isso, mas fraldas de pano… não rola! E fraudas orgânicas sustentáveis, que custam em média R$140,00 – 30 unidades… Não rola mesmoooo!

Partindo da motivação acima, eu estou certa que o tema do chá será: “Sustentabilidade ambiental“. Isso me dá a sensação que posso de alguma forma, minimizar o impacto que as fraldas vão gerar… Estou ainda só com ideias, mas em breve conto maiores detalhes.

bjs

 

 

Pessoas amadas, partem!

Hoje completo 26 semanas de gestação.

Este último final de semana foi muito tenso, pois de maneira nunca antes imaginada, uma das pessoas que mais marcou minha infância, se mostrou frágil e a alma se desligou do físico.

É bizarro como achamos que temos controle, ou até a previsibilidade do “dia de amanhã”. Nós nos enganamos diariamente, embrulhados em uma conturbada rotina, cheia de informações e afazeres. Logo, não sentimos o tempo passar, não sentimos a distância se aproximar e quase não sentimos a falta que o outro faz…

Quero pedir para minha Luísa que NUNCA, nunca, nunca permita ficar longe/distante de pessoas que ela ame… – Seja qual for o motivo! Não importa! Os dias passam, as semanas passam, depois os meses… e então, não dá mais tempo para conversar tudo que ficou acumulado.

Durante essa experiência dolorida, me deparei por diversas vezes, acariciando minha barriga… Talvez, numa tentativa de proteger minha cria de toda aquela energia de tristeza. Mentalizei um momento feliz e senti a vida se renovando em mim.

“Enquanto uma luz partia, outra se preparava para chegar”
Eram as palavras que eu ouvia com frequência… De fato, a vida é um ciclo…

 

Desnaturada? Não. Distraída? Pode ser…

Daí no auge das 25 semanas, chega o dia de visitar Dr Obstetra (consulta mensais). Planejo exatamente o horário que tenho que sair de casa – afinal, era importante eu sair mais cedo do trabalho.

Cheguei no trabalho, entrei numa reunião, saí… entrei em outra, saí… Almocei, entrei em mais outra reunião… E começamos a discutir a solução de um dos itens que estavam a semanas pendente. A discussão estava boa, ótima, na verdade! Conforme íamos fechando a solução e essa ficava mais refinada, eu me empolgava. Era evidente o resultado daquela reunião – que realmente estava produtiva.
De repente, meu celular tocou. Era o meu marido. Ao atender ouvi a voz dele perguntado se eu estava a caminho.
-Caraca! Caminho!?! Socorroooooo esqueci da consulta! Perdi o horário!!!! Saí correndo pedi licença para as pessoas, peguei minha bolsa – esqueci de guardar meu notebook e corri para o carro! Saí feito um tiro! #PartiuOsascoConsultaMédicaaaa
Nunca cheguei tão rápido!!! Realmente o universo ajudou kkkkkkk

A questão é que durante o caminho, fiquei até me culpando e pedindo desculpas para minha menina… Eu pensava: -O que pode ser mais importante que a consulta da minha criança???
Então, repensei… Falei para mim mesma: -Opa, pare com isso!!! Você não fez nada de errado! Você só se distraiu. Não há mal nenhum nisso!

Amo minha menina demais! E imagino que o amor dela por mim não mudou, por conta disso. Espero de coração, que ela me entenda… Entenda esse meu jeito distraído. Óbvio que vou me policiar para não mais acontecer.
Desejo que ela me ame como sou… Tentarei ser melhor a cada dia! Mas reconheço que nunca serei perfeita.

 

 

Não quero ser “adulta”

Com 24 semanas, sinto o tempo passar de forma absurda! A minha cria está chutando cada dia mais forte e eu adoro. Esses dias ela estava quietinha e quando eu a chamei, com suave aperto na barriga, ela respondeu – o sorriso no meu rosto foi imediato.

Viver tudo isso está sendo realmente incrível! É novidade atrás de novidade e a cada dia, uma surpresa, uma nova informação… É tanto carinho, são tantos planos…. Quero que ela saiba daqui uns anos, como foi a expectativa e como tudo foi pensado com muito carinho.

Atualmente, tenho 30 anos e não me sinto com essa idade. Quando reflito e me vejo, ainda me considero um tanto “adolescente”. Se a idade é reflexo da alma, não quero envelhecer nunca!!!

Quem inventou que temos que envelhecer, ficar adultos e deixar de ser criança??? Quem impôs esse castigo para a sociedade???

…Imagino (e quero acreditar) que sejam jargões colocados para que vivamos como robôs, pré-programados, com mesmas atitudes, numa sociedade que define o que temos que ser.

O amadurecimento surge, conforme a vivência acontece. Ele é o conhecimento adquirido, em cada um dos momentos vividos. Amadurecer é natural… Ficar “adulto” não é! Amadurecer é a consequência de lições que aprendemos a cada dia…

O adulto é chato, tem obrigações sem sentido, não vê sua essência e só pensa em prover uma felicidade concreta e recheada de patrimônios (consegue imaginar o quanto cinza é ser “adulto”?).

Esse tal “adulto” que me refiro, não é aquele que se alcança por questões cronológicas e/ou metabólicas, mas por imposições não naturais.
Eu me considero uma “quase adulta” kkkkk. Afinal, a vida não é “cor-de-rosa”. Mas que essa reflexão seja boa para que a minha menininha faça o que seja necessário e que ela saiba exatamente qual a escolha que ela esteja fazendo.

Quero daqui alguns anos poder contemplar um lindo pôr do sol, na praia… Ouvindo um reggae e curtindo o som do mar e a textura da areia – ao lado da minha Luísa. Imagino até a cena… nós conversando, rindo, confidenciando novidades e pensamentos… debatendo sobre a vida. Nossa, como quero viver isso!

Creio que essa vontade também seja reflexo da minha mãe (também uma “quase adulta” kkkk). Acredito que a Luísa vai curtir muito essa avó. Tenho certeza que minha mãe não será uma avó tradicional. Certamente a educação será contemplada, mas não teremos tricô, bolos e doces… Mas eu aposto que a vovó estará conosco na praia e ao fechar os olhos, teremos 3 pontos de energia jovem, alegre, infantil… curtindo a mesma vibe…

Humm… que delícia!

Amanhã completarei 23 semanas. O tempo está passando rápido demais!!! Eu não consigo fazer o que quero desse jeito! Tudo bem que eu esteja me sentindo um pouquinho cansada. Toda oportunidade que tenho de dormir até mais tarde, eu durmo 🙂

Aconteceu nesse último final de semana a ultrassonografia do segundo trimestre. Foi tão maravilhoso. Fiquei o final de semana todinho pensando nela! Me sinto apaixonada e muito feliz.

A sensação de completude é inquestionável. A cada movimento da minha pequena, eu sinto uma alegria enorme invadindo meu coração. Como é maravilhoso!!!

O mais interessante, é que quando estou pensando na minha menina, tenho a sensação que posso tudo! Sinto ter super-poderes e ser forte o suficiente para enfrentar o mundo e enfrentar todos!!! Hoje, sou muito mais confiante e tenho certeza que é efeito colateral da vida que nasceu em meu ventre. Parece que todo resto é tão pequeno, perto da grandiosidade das 519 gramas que está crescendo a cada dia dentro de mim.

S2

 

 

 

Fútil? Eu também posso, vai!

Creio que diante das 22 semanas de gestação, um dos maiores obstáculos que estou passando é com as vestimentas! Pode me chamar de fútil e superficial… Pode me julgar kkkk – Mas não vou mentir! hahahaha

As roupas feitas para gestantes, não são tão baratinhas. Além disso, tem um caimento horrível. Nada veste bem!

Ir ao shopping é uma luta. São várias as lojas exibindo na vitrine produtos, que normalmente, te faria gastar um dinheirinho… Aquele tipo de vitrine que quando você passa na frente até ouve: “Psiu… olha para mim!!! Sou uma peça de roupa que combina com você!
– Só que não!

Aquelas roupas que você usava até poucos meses atrás, não te vestem mais e a certeza é que não te servirá nos próximos meses.

Isso gera uma vibe muito doida, pois normalmente nossas roupas dizem muito de nós, de nossa personalidade. E são tantas as mudanças em nosso corpo que quando menos se espera: Não há quase peças de roupas que combinem com você em seu guarda-roupas! Isso é quase uma descaracterização da sua personalidade! (Dramática?!?!? -Pode ser!).

As roupas também desempenham um papel social importante (esteriotipado, claro). Mas uma peça de roupa pode (ou não) impactar nossa auto estima (me diga pq??? pq??? pq???).

Bom… esse foi meu desabafo raso do dia! Afinal, o blog é meu e eu faço quantos desabafos fúteis eu queira!

Bjs

 

 

Egoísta.. ser ou não ser?

Ultimamente, eu ouço muito a afirmação: “Agora, você vai deixar de ser egoísta!”

Isso me faz refletir… Afinal, eu sou uma egoísta assumida.

O que é “ser egoísta”?
Pq uma pessoa que é egoísta, deixaria de ser egoísta?

Será que ter um filho faz mudar a personalidade? –Não que ter um filho, seja pouca coisa… Mas a personalidade muda? A personalidade muda, ou as prioridades mudam?

Como matemática (rs), tenho raciocínio baseado em definições. As definições de egoísta e altruísta são distintas, porém, nem sempre são claras e as vezes podem até ser semelhantes…

Definição de egoísta:
Egoísmo é um substantivo masculino que nomeia um amor próprio excessivo, que leva um indivíduo a olhar só para os suas opiniões, interesses e necessidades, e que despreza as necessidades alheias.

Uma pessoa pode ser tão egoísta, ao ponto de fazer pelos outros, algo que é de SUA e apenas SUA prioridade. Se faz bem para a pessoa isso que importa!

Definição de altruísta:
Altruísta é um adjetivo que define um indivíduo que pratica o altruísmo, ou seja, que se dedica aos outros. O altruísmo também é visto como sinônimo de filantropia e solidariedade.

A pessoas fazem pelos outros, simplesmente por fazer. Muitas vezes se anulam diante de suas próprias vontades e prioridades.

Dessa forma, concluo que é hipocrisia dizer (hoje), que eu serei altruísta. Como disse anteriormente, para mim é questão de prioridade e amor. Uma vez que o amor faz mudar as prioridades, muda-se até os quereres.

 

Create a free website or blog at WordPress.com.

Up ↑